Microempresário: o que é e como se tornar um?

microempresario

 Vamos direto ao ponto: um microempresário é o empreendedor que possui uma empresa devidamente registrada nos órgãos competentes e que tem uma receita bruta anual igual ou inferior a R$ 360 mil. 

Esse tipo de empreendimento também leva o nome de microempresa (ME) porque ele conta, no máximo, com 9 funcionários (em caso de comércio e serviços), e até 19 funcionários (em caso de indústria). 

Outra característica de quem é microempresário é que geralmente o proprietário da microempresa costuma contribuir para o negócio com o seu próprio trabalho.

Portanto, para que você se sinta preparado para ser um microempresário de sucesso e saiba organizar uma empresa, preparamos o post de hoje. Aqui você aprenderá o que fazer para se tornar um microempresário e quais recursos utilizar para te ajudar nessa jornada de empreendedor.

Ficou interessado no assunto? Então, acompanhe o nosso post!

Como se tornar um microempresário?

A seguir, separamos algumas dicas práticas de como você pode se preparar para se tornar um microempresário:

1. Invista em tecnologia

Em primeiro lugar, independentemente se o seu negócio for on-line, off-line ou a mistura dos dois, inclua a tecnologia na rotina da microempresa.

Na prática, isso significa investir em ferramentas e dispositivos que facilitem a rotina de trabalho de todos, resultando no aumento da produtividade. 

Ou seja, ao mesmo tempo em que várias tarefas manuais podem ser automatizadas, a tecnologia também permite que a empresa tenha mais mobilidade, já que várias ferramentas podem ser acessadas em nuvem pela equipe de trabalho. 

Neste post aqui mostramos 5 exemplos de processos que a tecnologia ajuda a otimizar na microempresa

2. Busque informações

Outra atitude que você deve tomar para se tornar um microempresário é buscar informações relacionadas ao processo de abertura do negócio, bem como dos requisitos legais para mantê-lo funcionando. 

Uma boa notícia é que a maioria dos municípios brasileiros conta com serviços como o Sebrae, que apoia e incentiva as micro e pequenas empresas. 

Através do órgão você poderá tirar suas principais dúvidas. Além disso, contará com uma consultoria para ajudá-lo nos momentos que mais precisar.

3. Escolha a modalidade da sua microempresa

Uma microempresa apresenta três modalidades de funcionamento que você precisará escolher antes do procedimento de abertura. As principais elas: 

    • Empresário Individual (EI): nessa modalidade de microempresa, não existem sócios e é o microempresário quem responde integralmente por toda a administração do negócio. Ele pode ter o seu patrimônio pessoal confiscado, caso a empresa contraía dívidas que não conseguem ser pagas pelo patrimônio empresarial. 
    • Empresa Individual de Responsabilidade Limitada (Eireli): quando o proprietário não terá sócios, ficando, então, uma empresa de propriedade única (ele não pode ter outra empresa registrada). Para abrir uma Eireli, é necessário um investimento mínimo de 100 salários mínimos de capital inicial; além disso, nesse regime empresarial, o patrimônio pessoal do proprietário não fica atrelado ao da empresa. 
  • Sociedade Limitada (LTDA.): é o regime mais adotado no Brasil para se abrir uma microempresa e é caracterizada por ter, pelo menos, dois sócios, cuja responsabilidade de cada um é limitada ao número de cotas de capital que foram investidas na empresa. Nesse regime também ocorre a separação entre as contas da empresa e as contas pessoais, o que protege o patrimônio pessoal de cada sócio.

4. Conheça o enquadramento tributário da microempresa

Para você se tornar um microempresário haverá despesas que variam de um Estado para o outro. 

Geralmente, o custo para abrir uma microempresa pode ser de R$ 30 a R$ 200. Então, é bom estar preparado e ter um dinheiro para emergência, não é verdade?

Além disso, você precisa pensar nos outros gastos como o aluguel, água, energia, telefone, honorários do contador, custos e impostos se precisar de contratar funcionários.

Em relação aos impostos, a microempresa se enquadra no Simples Nacional, um tributo simplificado e que recolhe vários tributos municipais, estaduais e federais em uma única guia, tais como:

  • IRPJ;
  • CSLL;
  • PIS/Pasep;
  • Cofins;
  • IPI;
  • ICMS;
  • ISS;
  • Contribuição para a Seguridade Social destinada à Previdência Social. 

O imposto tem como base de apuração a receita bruta mensal da microempresa e a alíquota pode variar de acordo com o faturamento, que ficando entre 4% e um pouco mais de 17% sob o faturamento do mês.

O microempresário paga o Simples Nacional através de um documento chamado DAS (Documento de Arrecadação do Simples Nacional). 

5. Tenha um contador

O Sebrae recomenda ao microempresário que contrate um contador desde o início do processo de formalização do negócio. Este profissional também poderá orientar em relação aos passos de abertura da microempresa. 

Além disso, caso você precise de uma inscrição estadual, essa só poderá ser feita por meio deste profissional.

6. Formalize seu empreendimento

Antes de abrir a microempresa, faça uma pesquisa sobre as empresas que possam ter nomes idênticos ou semelhantes ao que você escolheu. Essa é uma etapa que deve ser feita no site da Junta Comercial do seu Estado.

Além da consulta, você deve procurar a prefeitura para verificar os critérios de concessão do alvará de funcionamento para o exercício da sua atividade no local escolhido. 

O registro legal de uma microempresa é tirado na Junta Comercial do Estado ou no cartório de registro de pessoa jurídica.

No caso das pessoas jurídicas (empresas) esse passo é semelhante à obtenção da certidão de nascimento de uma pessoa física. A partir desse registro, você será de fato um microempresário, pois seu empreendimento passará a existir.

Entretanto, somente após a concessão do alvará de funcionamento expedido pela prefeitura e o cadastro na Previdência Social é que sua microempresa estará apta a entrar em operação.

O que fazer para ser um microempresário de sucesso?

Bom, depois de entender como funcionam os procedimentos legais de se tornar um microempresário, a seguir daremos algumas dicas para facilitar o dia a dia de trabalho em seu novo empreendimento:

1. Use aplicativos para facilitar as tarefas

Agendor

O agendor é um aplicativo de CRM que ajuda a organizar suas vendas. Algumas funções do app são centralizar o cadastro de clientes e controlar entradas e saídas de produtos. 

Há uma versão gratuita e três pagas. O valor desses planos varia de R$80 a R$240 mensais. O aplicativo está disponível para Android e iOS.

Bills Reminder

É um aplicativo que manda bilhetes para o seu celular lembrando que é hora de pagar as contas. Com base nos prazos, ele organiza as contas em “próximas”, “atrasadas”, “quitadas” e “não quitadas”.

Ele é excelente para quem deseja ser lembrado dos seus compromissos. O app está disponível apenas para Android, mas no iOS também existe um app semelhante, chamado de Bill Monitor – Bill Reminder

Qipu

O app foi desenvolvido pelo Sebrae e o Buscapé. Ele propõe acabar com a inadimplência e permite condições ao microempresário para que ele possa gerir seu próprio negócio. A ferramenta é uma ajuda e tanto para quem deseja controlar suas obrigações empresariais.

O app pode ser usado tanto pelo celular quanto pela web. O aplicativo é gratuito e está disponível para Android e iOS, além de possui uma versão para web.

2. Acesse sites e blogs para se atualizar

Sebrae

Não dá para falar em microempresa se não citar o Sebrae, não é verdade? O órgão possui um site com todas as informações que você precisa para criar e manter seu negócio no caminho certo.

No portal há o blog com dicas sobre gestão, empreendedorismo, finanças, leis e todos os assuntos que o microempresário precisa conhecer. Além disso, no site do Sebrae você tira suas principais dúvidas em relação aos problemas relacionados ao seu empreendimento.

Revista Exame

A Revista Exame traz reportagens relacionadas às microempresas. São artigos que poderão lhe ajudar na gestão do seu empreendimento, como dicas de aplicativos e matérias com empreendedores de sucesso e profissionais da área administrativa. Vale a pena acompanhar o site e ficar bem informado!

Administradores

O site Administradores é o portal da administração. Nele você encontra conteúdo grátis sobre gestão, marketing empresarial, finanças e recursos humanos. Também há informações sobre franquias, livros da área e eventos. Eles também disponibilizam e-books grátis sobre vários temas.

Geração de Valor

O Geração de Valor é um projeto criado por um dos maiores empresários brasileiros, Flávio Augusto dos Santos. Quando o assunto é empreender, esse é o blog que traz diversas informações sobre o tema. 

No Geração de Valor você tem dicas de como ser um gestor bem sucedido e conta com uma série de textos que são um verdadeiro incentivo ao empreendedorismo.

Conta Azul

O blog Conta Azul é diversificado. Entretanto, se sua principal dúvida é sobre finanças, encontrará por lá um material bem rico. 

O blog também traz planilhas de custos, template de orçamento, planilha de fluxo de caixa, entre outras ferramentas que ajudarão na sua gestão financeira.

Endeavor Brasil

O Endeavor Brasil é um dos canais mais completos em relação ao empreendedorismo. Ele traz artigos sobre sócios, liderança, cultura organizacional, contratação e desenvolvimento. Você ainda pode baixar e-books e outras ferramentas que vão auxiliar na sua vida como microempresário.

3. Faça cursos

Aprender a empreender

Esse curso é disponibilizado no site do Sebrae. Ele possui 16 horas de duração e pode ser feito a qualquer hora. Aprender a empreender é uma capacitação para você que deseja ser um microempresário ou que precisa melhorar a gestão da sua microempresa.

A capacitação é gratuita e online, ficando disponível para o participante por um período de 30 dias.

Iniciando um pequeno grande negócio

Outra capacitação disponibilizada pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Esse curso é gratuito e trabalha princípios, fundamentos e práticas para empreendedores. A duração é de 30 horas.

Startup: Ferramentas para começar seu negócio

Se você quer empreender com poucos recursos, esse curso vai ajudar a trilhar os caminhos reduzindo as chances do fracasso. Ele também oferece uma visão clara de mercado para você saber como garantir o seu sucesso como microempresário.

O curso é oferecido pelo Endeavor Brasil e tem 3,5 horas de duração. As aulas são gratuitas e 100% online.

4. Invista em Voip para economizar na comunicação da empresa

Por fim, uma dica importante: torna-se um microempresário é realmente um desafio, principalmente no campo financeiro, não é mesmo? 

Nesse caso, nada melhor do que iniciar um negócio contando com bons recursos tecnológicos, mas que também ajudam a economizar os gastos.

Então, na hora de prestar um atendimento telefônico de qualidade para seus clientes e fornecedores, pense seriamente em investir na tecnologia Voip. Trata-se de um sistema que utiliza a internet para fazer e receber ligações de todo o Brasil, e, ainda, conta com recursos tecnológicos que tornam a microempresa ainda mais profissional aos olhos de seus clientes. 

Além disso, com o Voip, a comunicação interna da empresa também sai ganhando, já que dá para ligar gratuitamente entre os ramais, mesmo que eles estejam localizados fora da sede da empresa. 

Quer entender melhor sobre como um microempresário pode se beneficiar com a tecnologia Voip? Então, leia este post aqui: Voip – como funciona, vantagens e tudo que você precisa saber. Sucesso!

Estratégia: o que não fazer nas vendas por telefone

Junte-se a mais de 5000 empresas e receba
nossas dicas exclusivas por e-mail.

Digite seu e-mail abaixo e receba gratuitamente nossas dicas e conteúdos.